Bem vindos, esta nova ferramenta disponibilizará aos visitantes notícias em tempo real da Segurança Pública do nosso estado, em especial da PM RN.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

PM faz patrulha na "cracolândia" de Lagoa Nova

Um dia após a reportagem do Diário de Natal denunciar a existência de uma "Cracolândia" no bairro de Lagoa Nova, a Polícia Militar realizou uma ação de patrulhamento na manhã de ontem na região dos Coqueiros, área em que os dependentes químicos reúnem-se para consumir pedras de crack. Na ação realizada pelo 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), nenhum indivíduo foi preso.

Segundo o comandante do 5º BPM, major Lago Júnior, a ação não teve nenhuma motivação específica, apenas o crescente número de casos de violência na região, compreendida em um quadrado entre as avenidas Antônio Basílio, Bernardo Vieira e as ruas São José e Jaguarari. "Tem muitas ações que sequer passam por mim, por serem de pequeno porte e não necessitarem de maiores recursos. Esta (da manhã de ontem) foi uma delas", explicou o major.

Paliativo

Para os moradores da região, ações paliativas como a realizada ontem não são muito efetivas para a segurança da localidade, apesar de afastar temporariamente os consumidores de crack. "A polícia veme afasta os viciados, mas não adianta após certo tempo. Basta voltar aqui com poucas horas que eles todos estão de volta, para consumir crack e continuar cometendo crimes", afirmou uma comerciante local, que não quis se identificar.

A equipe reportagem esteve no local pouco tempo após a operação da PM e constatou que cerca de dez pessoas continuavam nas proximidades do lugar usado pelos dependentes para usar crack. Como o ocorrido na manhã de terça-feira, ao chegar na região da Cracolândia a reportagem foi mais uma vez hostilizada pelos "habitantes" da localidade. Assim que avistaram o carro da reportagem, todos ameaçaram, mais uma vez, atirarem pedras contra o veículo, na tentativa de afastar a todos.


Fonte: DNonline

Um comentário:

  1. E OS TRAFICANTES? TEM QUE COLOCAR ELES ATRAS DAS GRADES.

    ResponderExcluir